BFA

2022

O BFA ambiciona reforçar a sua posição de liderança na banca de retalho no mercado angolano, num permanente comprometimento com os seus Clientes, com o crescimento pessoal e profissional dos seus Colaboradores, com a criação de valor para os seus Accionistas e com o desenvolvimento sustentável de Angola.

BFA
valores da marca

A identidade da marca BFA é o reflexo da sua cultura financeira e empresarial. Os traços essenciais dessa cultura são a independência da gestão, a flexibilidade organizativa, o trabalho de equipa, a distinção do mérito, a capacidade de antecipação, a rigorosa administração de riscos e a segura criação de valores para os diferentes stakeholders. O ADN de uma instituição afirma-se através de atributos próprios que ganham consciência e credibilidade na relação que todos os dias se estabelece com os Clientes e com a Comunidade. O BFA valoriza especialmente dois desses atributos: a Experiência e a Harmonia. A Experiência é o resultado da formação das suas equipas e do importante património profissional acumulado ao longo da história do Banco no mercado nacional. A Harmonia exprime a permanente ambição de servir os Clientes e a Comunidade com os mais elevados padrões de ética e qualidade. É um propósito projectado para o futuro, determinado pela constante aposta na melhoria continua.

produtos e desenvolvimentos futuros

O BFA mantém a sua missão: desenvolver soluções financeiras que promovam um relacionamento duradouro com os seus Clientes, através da diferenciação de produtos e serviços simples, acessíveis e ajustados às necessidades de cada Cliente, num contexto de mudanças constantes. 

Por essa razão, no final do primeiro trimestre de 2021, foi concluído o processo de revisão do Plano Estratégico 2018-22, com o objectivo de reposicionar o modelo de negócio do Banco e assegurar a sustentabilidade dos seus resultados a longo prazo. De forma a materializar estes objectivos, foram definidas várias iniciativas estratégicas, focadas essencialmente em melhorar o serviço aos Clientes, através do reposicionamento dos serviços prestados pelo Banco e de alterações ao seu modelo de negócio. Estas alterações são acompanhadas por um processo de transformação digital do Banco, que contribui consequentemente para uma melhoria da sustentabilidade do Banco, tanto social como ambiental, assim como para a alavancagem da imagem do Banco como um Banco do futuro.

mercado

Com a consolidação do mercado financeiro, o BFA mantém a sua posição de um Banco de referência no sistema financeiro angolano. 

Conta actualmente com mais de 2 milhões de Clientes, mais de 2.700 Colaboradores e 198 Balcões. A sua rede é composta por Agências, Centros de Empresas, Centros de Investimento, Private Banking e Postos de Atendimento.

Como resultado da estratégia de gestão e da visão, assente em critérios rigorosos de gestão dos vários riscos e um grande dinamismo comercial, em 2021, o Banco obteve um resultado líquido de 156 471,7 milhões de kwanzas, o que se traduz num crescimento de +74,2 % face a 2020. A margem financeira aumentou 6,8%, tendo-se fixado em 199.412,1 milhões de kwanzas.

O Banco atingiu um ROE de 36,4%, que evidencia um grau de rentabilidade da operação do BFA particularmente relevante e representa um aumento considerável face ao ano anterior (que se encontrava em grande medida condicionado pelos efeitos da pandemia e pela revisão em baixa do rating soberano).

Adicionalmente, a robustez e a resiliência do Banco é, visível tendo em conta o rácio de solvabilidade regulamentar que se fixou em 46,2%, bem acima do valor mínimo regulamentar.

COMUNICAÇÃO

A estratégia de comunicação do BFA, mantêm-se a mesma ao longo dos anos – uma grande aposta na qualidade e inovação da sua oferta e no conhecimento dos seus Clientes. 

Assim, no final de 2021 foram disponibilizadas duas ofertas de crédito, bastante competitivas e adequadas as necessidades do segmento do Agronegócio, nomeadamente o Crédito de Campanha Agrícola BFA e Crédito ao Investimento Agrícola BFA, ambas com o mote "A agricultura faz Angola crescer". 

O apoio à comunidade está também intrinsecamente ligado aos valores do BFA e, por essa razão, o BFA deu continuidade ao programa BFA Solidário que teve como mote "O futuro das nossas crianças é o futuro de Angola". O BFA Solidário é um programa de responsabilidade social que visa apoiar e reconhecer o trabalho de organizações sem fins lucrativos que actuam nos sectores da educação, saúde e da inclusão social de crianças até aos 18 anos.

Adicionalmente e alinhada a sua estratégia de consolidação da marca, foi também lançada no final de 2021, a campanha Institucional "Um Banco com muito passado e muito futuro". Com esta campanha, o BFA reforçou o seu posicionamento como um Banco com uma experiência vasta e com um futuro brilhante.

vantagens competitivas

Como consequência do seu desempenho, indicadores sólidos e robustos, o BFA tem merecido ao longo dos últimos anos, o reconhecimento público em diversas categorias e áreas relevantes da actividade financeira, de acordo com a avaliação de diferentes entidades independentes, nacionais e internacionais. 

Entre outras distinções merecem especial destaque, os prémios atribuídos em 2021: 3ª Melhor entidade independente de previsão macro-económica Angola, atribuída pela Revista Focus Economics, Instituição financeira com maior número de contas custódias abertas e Maior montante negociado no mercado de dívida pública, atribuídos pela Bodiva.

Em 2020, o BFA foi também distinguido pela revista Global Finance, com a atribuição do prémio de Melhor Banco em Angola e o prémio de Melhor Banco de Responsabilidade Social atribuída pela Global Brands Magazine Awards.

BFA
sabia que?

• No âmbito da responsabilidade social do Banco, o BFA abraçou a causa "anemia falciforme" – já considerada um problema grave de saúde pública em Angola – apoiando um conjunto de iniciativas que, para além de sensibilizar a população para os riscos e comportamentos de prevenção, pretende recolher fundos para equipar uma ala do hospital pediátrico de Luanda, dedicada ao diagnóstico e tratamento da doença.

• A Fundação Calouste Gulbenkian e o Centro de Investigação em Saúde de Angola (CISA) estabeleceram uma parceria que tem como principal objectivo o desenvolvimento de uma estratégia sustentável para a redução da deficiência de micronutriente e da desnutrição das crianças nos primeiros cinco anos de vida. Este projecto de investigação decorrerá na província do Bengo, município do Dande, e terá uma duração de dois anos. Em 2014, o BFA associou-se a este projecto de investigação do CISA através de um apoio fundamental para a sua viabilização.

contactos

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.